Contact Us

Use the form on the right to contact us.

You can edit the text in this area, and change where the contact form on the right submits to, by entering edit mode using the modes on the bottom right. 

Rua Monsenhor Manuel Marinho
Porto, Porto, 4150
Portugal

Blog nas ondas do hip hop e da música eletrónica de qualidade. Em Português.

Content

Daily Posts about Underground Instrumental Hip Hop, Contemporary Jazz, R&B, Lo Fi & Electronic music

Filtering by Tag: Favela Trap

carlos do complexo: "pós-oceano"

Francisco Espregueira

"Pós-Oceano" é um pequeno EP de quase oito minutos de crítica social ao contexto brasileiro e faveleiro. "Pós-Oceano" é uma pequena história com curtas gravações de um dia como outro qualquer nesse contexto e nessa realidade. "Pós-Oceano" é uma viagem pelo Atlântico para uma realidade que não conheço, que está alojada no meu imaginário, fruto do cinema e da música. De lá. "Pós-Oceano".

A viagem abre, conceptualmente, em "Engenho da Rainha", versão alternativa à faixa com o mesmo nome do último álbum de Sángo. Ele próprio trata da percurssão nessa. "Pra Sempre" fecha, mantendo a herança e os toques de ritmos e baixo.

Carlos é um dos mais talentosos e visionários produtores que já passaram por aqui no Sótão. A percepção da sua própria cultura, aqui retratada.

Após o oceano, você é livre.
Continue nadando contra a maré.

/////

Não irei vender,
ninguém no mundo pode pagar o preço que nossa cultura vale.
— Carlos

oiôba & xxiii apresentam: baile maracujália

Francisco Espregueira

Dia 26 de Julho é amanhã. No Base a marca de biquinis Oiôba, em parceria com a nossa conhecida editora portuense XXIII, apresenta Baile Maracujália.

Por dentro do movimento, O Sótão, terá o prazer de estar presente e curtir nas ondas de Petit Piment, SHAKA LION e NOIA. Lembranças de todos eles na minha biblioteca sonora. BENT é novidade!

Mas antes lembro-me de ficar encantado com o posicionamento da marca Oiôba. Lembro-me deste vídeo:

Petit Piment vem de França com sotaque português abrasileirado. Lembro-me também quando me passou uma tracklist de uma das suas mix's... Doçura, com música carregada de sensualidade. A tal da Malandragem Suave.

Lembro-me de SHAKA me apresentar ao Sángo... gigante do movimento. Lembro-me do seu set em Lisboa e de entrar na sala e ouvir NxWorries. Boa onda. Poder. E sensualidade, claro, sobrevoando a quem baila. Mestre.

E NOIA, em casa, na sua cidade. Quantas vezes já não viciei em reposts seus no Soundcloud. Provavelmente possuidora de uma das maiores audiotecas dos ritmos nesta onda. Melhor escolha? Impossível. Idealista: a XXIII é, também, sua.

E BENT. Lembro-me de há poucos instantes a XXIII me mostrar BENT. Faixa. Sángo & Waldo. "Out". Jay-Z. "99 Problems". Conquistado. A voar do work para te ver também.

 

Vai ser muito baile. Muito Ritmo. Muito Baixo. E eu vou estar lá tipo "Sábio do Barraco".

PS: obrigado Sansai. Este som é da hora.

el g : "sabor fvls"

Francisco Espregueira

O nome do EP é auto-explicativo em termos sonoros. "Sabor FVLS", que compila produções feitas durante 2016, é a apresentação de El G, artista baseado em Berlim que já tem rodado algumas pistas bem pesadinhas Europa fora. Armadilhas improvisadas de favela. Favela Trap, pois.

Na verdade tem sido difícil passar das suas três primeiras faixas... indubitavelmente as que balançam mais forte no Sótão. Depois "Sabor FVLS" vai ficando cada vez mais pesado... Passado da cabeça, até que acaba com a doçura matreira daquele sample de "My Boo", tão bem tratado por quem o imaginou junto da loucura faveleira.

A lista, com quatro, contempla as predilectas de quem escreve esta crónica. De quem conhece como poucos estas rotações. Esse, que ainda fica surpreendido com os infindáveis momentos de tropicalidade do Baile Funk reinventado.

El G:

notas

Francisco Espregueira

Não há nada de muito profundo que se possa dizer quando se escuta estes ritmos. Eles sentem-se ou não se sentem. Cada um com cada qual. No Sótão, ao ritmo da percurssão, que bate e balança, sente-se até a chuva que cai nos dias de calor.

Segredado ao ouvido, El G, é um novo nome do género que fica anotado. O seu EP "SABOR FVLS" é fantástico. Como é que é possível só o ter escutado hoje?

Cardosu, é nome conhecido por esta altura. Revisito-o por vezes. "Remember?" é um grito de loucura em música. Maldade louca nesta, que foi feita para desviar dos caminhos do bem. O final acelerará em direcção a uma noite que não acaba.

Um dos melhores EP's do movimento Favela Trap é "Baile 61" de JLZ, outra cara que reaparece aqui. Lançada pela coletividade SOLTA, essa faixa "Gostosinho" promete levar-me pró inferno se a escuto regularmente. Fuck it. É assim.

vhoor

Francisco Espregueira

Então bota dizendo que ama

Vítor Hugo, da linda cidade de Belo Horizonte, é VHOOR, um dos artistas da nova onda de sonoridades que reinventam o Baile Funk brasileiro que mais promete. Tudo é consistentemente maravilhoso nas suas produções - que vão aparecendo a um ritmo alucinante no soundcloud diretamente para as colunas do Sótão. Nos detalhes faz a diferença.

Variando entre as abordagens suaves e pesadas a este trap tropical, as suas faixas têm vindo a ganhar reputação na rede de artistas do género. Com a atenção que recai sobre VHOOR a crescer, chegou a altura de, no Sótão, o escutarmos.

As músicas selecionadas para a lista mostram este movimento no seu melhor. Nas batidas pesadas, nos ritmos tropicais, nas palavras explicítas.

O seu mais recente EP "Vilarinho", lançado pela coletividade SOLTA, mostra a versatilidade do seu reportório. Para escutar, aqui fica: VILARINHO

E mais VHOOR?

sángo : 'de mim, pra voçê'

Francisco Espregueira

Saiu hoje. "De Mim, Pra Voçê" é a quarta compilação de tropicalidade pela mão de Sángo, carregando o legado das três edições anteriores de "Da Rocinha". A audição no Sótão é imediata. Não podia ser de outra forma. Sángo é fundamental aqui, omni-presente. Quando algo novo sai, o tempo deixa de passar. Torna-se irrelevante. Da primeira à última música, sem parar.

Rodeado de talento extra - Carlos do Complexo, DKVPZ, Monte Booker, Chris McClenney, entre outros -, "De Mim, Prá Voçê" inova. Com os ritmos do baile funk tratados com mestria, a textura do que sai agora pelas colunas é deliciosa. Sángo é o mais importante nome deste movimento e não deixará o crédito por mãos alheias.

16 faixas para nos ocupar para os próximos tempos. Já conhecia algumas, como a maravilhosa colaboração com Carlos em "Engenho da Rainha". É tempo de deixar crescer outras por dentro. Mais e mais até se tornar parte do ser. A minha alma aquece e tropicaliza, pois hoje é dia de Sángo.

Something I’ve been working on since December. My soul can’t go too long without making baile funk music.
— Sángo

Esperamos por ele no Time Out Market em Lisboa, para balançar com calor... dia 26 de Março. Imperdível. Talvez toque "Amor no Morro"... talvez "Então Tá", ou então "O Moto". Quiçá acabe com "Deus é Alegria". De qualquer das formas é para curtir. É nois ✌ .

edição : favela

Francisco Espregueira

A internet é uma fonte inesgotável para os entusiastas da música, com plataformas como Soundcloud, BandCamp e Youtube a dar aos artistas um output directo para expressar e partilhar a sua criatividade. Com tantas faixas que aparecem todos os dias, é difícil ter um ponto de partida! O Sótão sempre acompanhou de perto o movimento do Favela Trap, do Baile Funk reinventado, da tropicalidade em forma de música. Foram vários os artistas que passaram por aqui, desde que conheci Sángo há uns 4 anos atrás. E agora chegou a altura de partilhar mais uns, que mereciam sem dúvida o destaque individual pelos momentos de calor que me trazem... on a regular basis. Aqui no Sótão nada me dá mais prazer do que partilhar estes pequenos diamantes, uns menos conhecidos que os outros, que me excitam tanto. O Sótão, repito, não é o palco dos grandes nomes, é o palco desta gente e deste talento. Este post é tudo o que este blog é, na verdade. Obrigado a estes nomes todos que coloco em baixo, explodem nas minhas colunas!

VHOOR

VHOOR é Vítor Hugo, de Belo Horizonte. É uma descoberta recente. Esta, em baixo, é só um cheiro - muito bom - daquilo que faz. Ultimamente tem lançado umas maravilhas. A acompanhar de perto.

JLZ

João Luiz, Brasília. Um dos membros mais ativos desta comunidade, JLZ, lançou há uns tempos o fantástico "Baile 61". Desde aí que o sigo com expectativa. Já tem um portefólio grande, demonstrando o seu talento. A que está aqui, conta com a colabroação do rapaz de cima. E rebenta o que aparece pela frente. É cheiro de pneu queimado, mesmo.

Cardosu

O Cardosu é o Bruno e voa para o Sótão de Belém. "Altas", incluída numa compilação da "Solta", coletivo de produtores brasileiros, chega a ter toques de messias... Só dá para colocar uma? Pois, então, eu conto outra em segredo: "Chão".

atebayo

Duo fantástico. "meus olhos" foi a porta de entrada para os conhecer. "abre alas", que já passou aí nas playlists, fica aqui para nova audição. Como disse, atebayo são dois. Um é o Tui, de quem já tirei umas notas para me lembrar, o outro segue em baixo. De onde são? Não sei, talvez do céu.

sunson

A cara metade de atebayo, sunson. Vem para aqui porque toda a hora alguém tá querendo. "6:00am" é sombria, escura, pesada... Com este flow tão bom é impossível passar uma noite em branco.

Sansai

Rio. Murahi e KIOSVN. Lucca e Caio. Faz um tempo e escrevi sobre eles. O vídeo no youtube só não tem mais visualizações porque não tenho o dinheiro para o promover. Seria dinheiro bem gasto. A "Bueiro" é... tipo... uma das minhas all time favorites. Energia. Mais forte, mais rápida cada vez que a ouço. Sansai, gente.

Kojack's

Única, "UniK". Roda já nos concertos live de Sángo. A batida quando cai provoca algo de extremamente prazeroso... É uma que me fica para sempre. Kojack's já segue noutro nível no caminho prá fama. Sigo-o também aqui, em paralelo. Vamos todos fazer a vénia a Alisson Lopes que se junta diretamente de Santa Maria.

Kryone

Jamie García, Morelia, México. Tudo o que tem provavelmente está guardada na minha colecção. Kryone tem um toque especial... Um mestre na composição destes ritmos. Mestre! "Oneself" toca agora no Sótão, trazendo consigo um ambiente próprio. Um ambiente que só Jaime consegue transmitir.

SEVEN BEATS

Aí agora é Geral Perdendo a Linha. Convém recordar aquilo que é especial. Aterra uma vez mais do Rio, SEVEN! Essa que segue em baixo, poderia ser proibida. Mas não é. Aproveita... para bater fundo. Antes de acabar o post, tinha que falar do tipo. Antes, vou sussurar uma mais no ouvido.

ROOHV e OUTROS

VHOOR ao contrário. ROOHV. Junto toda esta família feliz com uma faixa curta. Os créditos desta longa metragem passam enquanto toca. E faltam tantos... Muitos dos quais até já fui falando. Falta o 5ierra, falta o Carlos, os tipos do coletivo belga OZADYA, a rapaziada holandesa liderada pelo Jäel, jmac e don mayor, AbJo, YO-ZU, Maffalda, e muitos mais. Este movimento segue também aqui. Esta é a minha homenagem a todos voçês.

De mim pra voçê. Favela #1 + Favela #2. Esta é a #3. ✌

Ah! Toda essa favela aqui.

notas

Francisco Espregueira

Umas notas rápidas. Posso falar pra voçê? Tui é meia parte de atebayo. E leva-me a parte toda em "Voçê Quer".

TAPSOUNDS - ´"U". Algo das novas produções de Sángo nessa. Uma mistura do baile funk com r&b mais acentuada. Requer momentos de fumo no escuro numa pista de dança qualquer.

Acaba-se com a calma de "vai devagar". Musubi, pede para sentar: "dá os dois e senta", para ser mais preciso.

Tudo isto é novo. Acabado de sair. Acabado de ser descoberto no Sótão. ✌ .

playlist #68

Francisco Espregueira

O play na primeira define o mood. Na paz do fim de semana, tantas vezes descurada pela sede de mexer. Paz subtil e penetrante. Sem intrusão.

Nada deve fazer sentido à primeira na música... Estas estão todas em "subliminares".

Caught between a fuck and a fuck to give.
— Crave Moore - Juvi

notas

Francisco Espregueira

Sángo e Kaytranada são dois que por esta altura já todos conhecem. Orgulho-me de os ter acompanhado dos palcos digitais do soundcloud até ao estrelato em que se encontram. Vão lançando as suas peças por aí enquanto aguardo por mais e mais. Sedento, eu. Ambos ajudam a definir muito do que existe de novo na música. Cada um no seu estilo. Cada um na sua arte.

Dos subtis ritmos faveleiros de "Dance For Blessings", até ao flip dado por Kaytra em "Wanna Get To Know You" da britânica Nao. ✌

playlist #66

Francisco Espregueira

Diversidade em forma de música. A primeira é para a vida. "Suede Jaw". Enquanto escrevo e ouço-a, olho para a imagem e penso na velocidade com que aquele barco me passou diante dos olhos. Biggie Smalls reinventado, mágicos instrumentais Noruegueses de Fredfades, produção louca de Cam O'bi.

Siga. A seguir, Brasil e o suor que desejo.

Props para o novo beat de Kryone.

ESPECIAL : PLAYLIST #50

Francisco Espregueira

50 faixas. Mais de um ano e meio no Sótão quase todas as noites, umas escritas outras simplesmente acompanhadas de muito boa música. 50 faixas, que recapitulam o que de melhor foi passando por aqui nas ondas do hip hop, do r&b e dos sons tropicais vindos do Brasil. Umas mais pausadas do que outras, umas menos prosadas do que outras. Slowaves, beats, life.

Do Sótão pró infinito...

Chill Hip Hop »» R&B »» Hip Hop Contemporâneo »» Favela Trap. Sempre a crescer na temperatura.